Renato Pezzotti
Um relatório da consultoria Deloitte lançado nesta semana mostra sete tendências para que os profissionais de marketing possam refinar sua abordagem em 2022. O investimento em tecnologia, aliado à capacidade analítica do ser humano, é peça-chave do report.Para chegar às conclusões publicadas no relatório “Global Marketing Trends”, a consultoria ouviu as opiniões de 1.099 executivos de empresas de cinco países (Estados Unidos, Inglaterra, Japão, Holanda e França), além de uma pesquisa realizada com 11.500 consumidores (de 19 países, sendo 500 deles brasileiros).Entre os resultados que os executivos esperam alcançar neste ano, estão:melhorar a produtividade e a eficiência (39%);aprimorar o envolvimento com os clientes (33%);acelerar a mudança para plataformas digitais (29%);melhorar o bem-estar dos funcionários (28%);aumentar o impacto positivo das organizações na sociedade (28%)A soma passa de 100% porque cada executivo pode escolher mais de uma opção.”Os consumidores não vão mais abandonar os canais digitais, muito pela facilidade e pelo imediatismo. O conceito de conveniência mudou. E a importância da área de marketing tem crescido muito para lidar com tudo isso. Precisamos combinar a máquina com o humano. Talento segue sendo muito importante”, diz Guilherme Evans, sócio-líder da Deloitte Digital no Brasil.Para o executivo, um dos maiores desafios das empresas passará pela reorganização da forma de fazer marketing.”Muitas ainda usam um processo mais tradicional, com pouca flexibilidade e tempo de reação mais longo. O marketing precisa ser mais rápido. O e-commerce tem muito a ensinar”, diz.Veja as sete tendências apontadas pela Deloitte:Propósito na linha de crescimentoOs consumidores ainda priorizam preço e qualidade ao decidirem o que vão comprar. Mas o relatório aponta que as marcas de maior crescimento têm olhado com mais atenção para os consumidores que preferem empresas com propósitos alinhados aos seus.Marketing inclusivoDos entrevistados, 76% afirmaram “estar mais dispostos” a comprar de marcas que se comprometem a ser diversas e enfrentar desigualdades sociais. Os consumidores já sabem identificar quais empresas realmente se preocupam com esses temas —e isso exige um compromisso verdadeiro na área de Diversidade & Inclusão.Construir um mecanismo criativoO relatório aponta que os departamentos de marketing precisarão aprimorar suas ferramentas de busca por novos talentos, porque grande parte da força de trabalho com formação universitária mudou para formas remotas de trabalho. Isso traz um ponto positivo: caíram as limitações geográficas. Por outro lado, o trabalho remoto coloca ainda mais ênfase na colaboração entre as equipes.Um mundo sem cookiesSem a tecnologia de rastreamento, que deve deixar de existir em 2023, os anunciantes terão que mudar sua estratégia para segmentar os anúncios digitais. Um dos caminhos é investir nos dados “primários” dos consumidores, aqueles obtidospor estratégias próprias, como e-mails de marketing, redes sociais e promoções. O estudo aponta que 61% das empresas que mais cresceram em 2021 já estão rumando para esta alternativa.Dados que priorizem o ser humanoQuando se trata de dados do consumidor, há um equilíbrio delicado entre oferecer anúncios relevantes e ser invasivo. Para os profissionais de marketing, isso significa projetar cuidadosamente experiências baseadas em dados que promovam a confiança e criem valor para o cliente.Aumentar a experiência híbridaDos executivos ouvidos, 75% afirmaram que vão investir mais em experiências híbridas nos próximos 12 meses. A estratégia tem como objetivos principais oferecer personalização, trazer inovação aos clientes e ajudar as pessoas a se conectar. Ao mesmo tempo, mais consumidores (especialmente os mais jovens) estão usando novos canais para interagir e comprar de marcas.Aprimorar o atendimento ao clienteA inteligência artificial será peça chave para oferecer aos consumidores uma boa experiência de contato com a marca. Para 43% dos entrevistados, a personalização de produtos e serviços e o oferecimento de boas ofertas são os principais motivos para que os clientes comprem de determinada empresa.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *