Produção agrícola, gastronomia e história atraem investidores dos Emirados Árabes

A história de Brotas, fundada na atmosfera das fazendas produtoras de café, nos tempos áureos da atividade, agora converge a partir da movimentação entre empresários da gastronomia, agricultura, hotelaria e da Secretaria de Turismo para projetar sua “cultura de sabores” no mercado internacional. Setores se organizam para estimular o cultivo do café e alavancar a representatividade de produtores locais com a oferta de alimentos tipo exportação, que já atraem investidores dos Emirados Árabes.

Em agenda pelo Brasil, Brotas está na rota de Colin Francis, CEO da BR Food Industries, de Dubai. Além de enxergar o país como um terreno fértil para ampliar a produção da fruta, que tem a demanda mundial crescente, James avalia que Brotas é o destino ideal do turismo internacional cafeeiro.

“Brotas tem fazendas que preservam o cenário dos tempos da colheita do café. A arquitetura, os terreiros e a exploração destes espaços para o turismo rural são o ambiente favorável para impulsionar o interesse dos investidores árabes na segunda maior commodity da economia global”, afirma Fabio Pontes, secretário de Turismo de Brotas.

De acordo com James, embora seja destaque no mundo, a fuga de cafeicultores brasileiros para outras atividades exige a mobilização para incentivar a retomada. “Há décadas, o Brasil tem reduzido a produção de café devido à condição climática e avanço de outras culturas como a cana-de-açúcar e a soja. O país vem perdendo o espaço da produção do café, na contramão da demanda mundial, que é crescente, principalmente na Índia e na China. É preciso, portanto, estimular a retomada desta produção”, reforça o CEO.

Em reuniões de rodadas de negócios, empresários e poder público apresentaram a ampla oferta de produtos tipo exportação que já fazem sucesso entre os milhares de turistas que visitam Brotas todos os anos. Entre elas, o guava, versão de catchup de goiaba, saudável e livre de conservantes, a laranja charmute, criada na década de 80 no município; e a cachaça já adequada aos padrões para a comercialização em outros países. 

Experiência sensorial

Cada vez mais a paixão pelo café desperta o interesse de turistas em Brotas a apreciar a diversidade de sabores que a bebida oferece. A empresária Lilian Barbosa, tornou o seu negócio, a Especialeria, empório café na região central, um atrativo para moradores e turistas adeptos a esta cultura.

Entre os cafés de alta pontuação e exóticos, a exemplo do Café Jacu, a oferta de variedades premiadas permite ao visitante uma experiência sensorial de notas e sabores de diferentes intensidades. Os valores por xícara variam entre R$ 7 e R$ 25,00.

“Brotas mantém em escala reduzida a produção do café e uma condição favorável em termos de logística, solo, contexto histórico e turístico para ampliar potencialmente a atividade que pode se tornar um atrativo para o mercado árabe, já interessado, e outras economias. Nosso objetivo é lançar este movimento pela adesão do agronegócio a esta cultura e estabelecer esta sinergia com o turismo local, que na demanda doméstica já atrai muitos amantes da bebida”, finaliza Lilian.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *