Aumento nas vendas online e maior fluxo de compras é esperado em dezembro

As vendas de Natal são sempre esperadas pelas empresas e comerciantes, devido ao grande aumento de compras. Segundo cálculos da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o Natal desse ano deve movimentar cerca de R$ 34,3 bilhões no comércio varejista. O número representa 4,3% a mais que o mesmo período do ano passado. No último ano esse cenário ainda ganhou uma cara diferente com o crescimento das vendas online. Frederico Stockchneider, diretor de tecnologia da InfoWorker Tecnologia, explica que o crescimento desse comportamento gera novas demandas para as empresas.

De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), em novembro do ano passado, as vendas online atingiram uma taxa recorde de 14,4% do setor varejista do Brasil e a projeção era de que que ainda em novembro essa marca chegasse a 18,7%. “Essa digitalização do ambiente de compras exige que as empresas e comércios adotem uma resposta tecnológica à altura para lidar com essas demandas”, afirma Stockchneider.

O especialista, que gerencia uma empresa que desenvolve soluções tecnológicas para o mercado corporativo, destaca a segurança de informações e a logística como alguns dos principais pontos que precisam do suporte da tecnologia.  “Com o avanço das compras online, o controle dessas áreas fica cada vez mais complicado e o objetivo dos recursos tecnológicos é auxiliar nesse processo, garantindo às empresas maior competitividade e ao consumidor uma melhor experiência”, explica.

Segurança de dados

            O assunto proteção de dados tem estado em alta há algum tempo, devido a implementação da LGPD, do aumento frequente de golpes online e do vazamento de informações. Stockchneider pontua que as empresas precisam reforçar os recursos de proteção utilizados para garantir a segurança dos dados dos compradores e evitar invasões ao sistema, especialmente nesse momento de grande fluxo de compras online.

“Acrescentar mais camadas de proteção, ter um servidor confiável para backups e redundância, que é quando mais de um servidor está preparado para realizar a mesma função, são algumas formas de proteger a empresa com ajuda da tecnologia”.

Do estoque à entrega

Nos anos anteriores à pandemia, o e-commerce representava menos de 10% do varejo no Brasil. O crescimento das vendas online implica no controle logístico da empresa, desde a produção e estoque até a entrega do produto ao cliente.

Stockchneider explica que aí entram as tecnologias de previsão e gestão, como o Business Intelligence, Machine Learning e Automação de Processos.

Essas tecnologias ajudam tanto a controlar demandas atuais como prever futuras demandas e identificar necessidades.

“Os negócios precisam ter a tecnologia como aliada nesse momento, tanto para que a realidade seja mais prática e segura, quanto para conquistar e reter clientes que hoje possuem novos hábitos de compra consolidados e com grandes referências nacionais e mundiais de comparação na própria internet”, aponta o especialista.

Frederico Stockchneider

Frederico Stockchneider é empresário, diretor de tecnologia na InfoWorker Tecnologia e Treinamento. Graduado em Sistemas da Informação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e MBA em Gestão Estratégica de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Responsável pela gestão e consultoria de projetos e soluções tecnológicas para diversos segmentos nas áreas pública e privada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *