Por Adinaldo Diniz

Olha só para você? Quem vai te querer desse jeito? Quero ver quem vai querer ficar com você a sério com esse monte de filhos? Se eu te deixar você passa fome. Nem sua família liga mais para você. Nem estudo tem, nunca trabalhou, viveu sempre as minhas custas, não vai sobreviver um dia sem a vida que eu te dou. Esses anos tocos comigo e nem aprendeu a arrumar uma casa direito, se eu te largar nem de doméstica você vai servir. Ninguém te quer, nem sua família te aguenta mais. Vai para a casa de quem? E os nossos filhos? Você pensou na situação difícil que vai obrigar eles a viver? A sofrer desnecessariamente por conta das suas loucuras? Já pensou a vergonha que você vai passar no meio da sua família? Com que cara eles vão te olhar depois de saber que você me acusar de ser violento com você? Quem vai acreditar no que você diz? Sua família vai ficar contra você porque até eles sabem que você não vai encontrar ninguém melhor que eu. Se não fosse eu, você não seria nada, não teria sequer onde morar.

Essas afirmações se referem a violência psicológica.

Rompa o ciclo, Acredita Poderosa, o medo é menor do que o poder que existe dentro de você. Não só dá para romper o ciclo como descobrir a mulher que você é e estava sufocada nesse relacionamento abusivo. Existem ferramentas, medidas de proteção, educação, conhecimento, união, acompanhamento e acolhimento para que você não se sinta só e que finalmente possa dar a volta por cima.

Resumimos no parágrafo acima a importância de um projeto com 10 anos de existência, que durante a pandemia se manteve mais ativo e atuante do que nunca. Falamos do Projeto Acredita Poderosa, sediado em Mogi das Cruzes, cuja idealizadora Lynnah Cassarini e a relações públicas do projeto, Juliana Oliveira prontamente recebeu a nossa equipe do Jornal Portal do Alto Tietê para uma profunda e esclarecedora entrevista.

A Lynnah Cassarini é policial civil com Formação em Direito, Pós-Graduação em Direito Processual Penal e Especialização em Violência Doméstica, Master Coach e Analista Comportamental e desde cedo, já aos 19 anos foi despertada para atuar junto as mulheres em situação de violência doméstica, para romperem o ciclo, se empoderarem e tomarem as rédeas da sua própria vida.

Confira agora a nossa entrevista com a Idealizadora do Projeto Acredita Poderosa, Linnah Cassarini.

P.A.T. – Linnah, qual a origem desse projeto? Porque atuar nesta causa?

LYNNAH – Nasce de uma vivência própria. A cultura que imperava no Brasil há três décadas atrás tinha uma proposta diferente do que era ser homem, pai e chefe de família. Vivenciei minha mãe passando por todas essas situações de violência como física, moral, psicológica, patrimonial e sexual. Aos 19 anos decidi dar um basta nisso, e enxergar quantas mulheres como a minha mãe estariam na mesma condição. Entrei para a polícia, me formei, e aos 29 anos decidi me engajar a frente desta causa com um projeto como este que estão conhecendo agora.

P.A.T. Linnah, porque Acredita Poderosa?

LYNNAH – Quando a mulher está vivendo esta situação de violência, o opressor utiliza da pressão psicológica, deprime essa mulher, a faz acreditar que não tem saída para ela. O emocional dela vai abaixo de zero, faltam forças para lutar, junto com a vergonha que a violência física traz no corpo e na mente dessa mulher. Ela está desacreditada, não enxerga possibilidades e tudo que ela tinha de orgulho, as qualidades e o potencial dela desaparecem, porque a estima dela está tão rebaixada. Essa é uma das maiores crueldades praticadas pelo agressor, que vai aos poucos levando essa mulher a um quadro de depressão muito grave. Por isso o Acredita, porque existe sim uma saída e ela precisa acreditar que sim é possível romper esse ciclo. E o Poderosa, porque essa mulher ao liberta-se desse ciclo é Empoderada, e empoderar nada mais é do que dar poder a si mesmo, ou seja, volta a autonomia, a autoconfiança, a autoestima é elevada e ela redescobre todo o potencial que estava adormecido.

P.A.T.: – Falar sobre violência doméstica é sempre um TABU dentro e fora de casa. Como o projeto de vocês consegue romper essa barreira do silêncio e chegar aonde a mulher em situação de violência está?

LYNNAH:  – No início o projeto não era assim. A premissa era empoderar as mulheres com informação, com palestras para que estas conhecendo seus direitos e tomando consciência da capacidade e do potencial que tem, buscassem romper este ciclo. Porém, a vivência traz a experiência, e a experiência conduz a sabedoria. No transcorrer do projeto fomos levados a vivenciar a situação das mulheres que estão nas comunidades. Tudo é mais difícil, tudo é mais complicado. A começar pela informação. Ela não faz ideia em muitas vezes se o que está acontecendo é uma violência psicológica, não faz ideia de quem procurar, aonde procurar e quando procurar. Muitas vezes se sente muito só, falta acesso a uma rede de apoio, acolhimento e escuta humanizada e ainda meios para locomoção e deslocamento para chegar até os órgãos oficiais e formalizar a sua denúncia.

Uma das Visões do Projeto é ele ser itinerante, justamente para chegar nessa comunidade, levar a informação, o conhecimento, o acolhimento, a assistência diretamente onde esta mulher está.

O Acredita Poderosa é vocacionado para a ação, para agir. Não é uma bandeira, nem uma causa social sem ações práticas. Estamos de fato no dia a dia das mulheres entendendo de perto suas angústias e medo, mas, ao mesmo tempo sentindo uma satisfação imensa quando estas mulheres se libertam, rompem o ciclo de violência e tem suas vidas transformadas.           

           P.A.T.: – E como é a abordagem? Que meios a mulher em situação de violência pode utilizar para chegar ao Projeto?

LYNNAH – O Acredita Poderosa realiza três ações principais: as palestras, as edições e os mutirões de divulgação e orientação jurídica.

As palestras atendem igrejas, empresas, comunidades. São distribuídos materiais de orientação, bem como material com telefones e contatos para que posteriormente em caso de violência essa mulher saiba com que rede de apoio pode contar.

As edições ocorrem nas comunidades. Através dos parceiros do projeto, são oferecidos serviços na área de estética, beleza, entre outros.

E os mutirões, que são ações sociais conjuntas que envolvem os parceiros do projeto, oferecendo serviços diversos, orientação jurídica, psicológica e até empreendedora.  

Existe ainda um eixo de comunicação com o grupo através do Instagram @acreditapoderosa, que nesse período de pandemia tem crescido muito. Inclusive, deixamos um recadinho para você mulher, que conhece ou vive essa situação. Siga-nos no Instagram e não tenha dúvida alguma em nos chamar. Estamos prontas a te ajudar, te orientar e te acolher, só precisamos que acredite, mesmo que seja seu último fio de esperança e só nos dê um oi. Você descobrirá que é muito mais forte do que imagina.

           P.A.T.: – Até agora falamos em torno do projeto, mas ainda não explicamos ao leitor o que exatamente ele oferece. A palavra é toda sua Lynnah.

LYNNAH: – O PROJETO ACREDITA PODEROSA acolhe, abraça a mulher em situação de violência, orienta, assiste e auxilia inclusive a se libertar economicamente, sendo financeiramente independente.

Em detalhes, recepcionamos a mulher em situação de violência doméstica ou familiar, entendemos o caso, orientamos e atuamos juridicamente, oferecemos apoio psicológico, psicopedagógico, apresentamos uma rede de proteção qual ela tem direito, e, oferecemos cursos para que elas sejam livres inclusive economicamente, ingressando ao mercado de trabalho ou sendo empreendedoras.

O projeto já abrange mais de mil mulheres que o conheceram por meio das palestras, edições e mutirões, e mais de dois mil seguidores nas nossas redes sociais.

Para isso contamos com nossa rede de parceiros, que peço licença de mencionar um a um, porque sem eles nada disso seria possível. Nosso time de parceiros conta com a Juliana Oliveira Relações Públicas, Raquel Rondon Advogada, Mylena Brito Advogada, Nádia Roll Psicóloga Wanessa Rosetti Contadora, Deyse Palmesi Fotógrafa, Fabiana Rossetti Tatuadora, Roberta Kajitani Buffet, Luana Flores Administradora de Condomínios Aliança, Fernanda Almeida Psicanalista, Fernanda Calazans Assistente Social e Amanda Camargo Psicopedagoga.                                                                                                                                                                                                                                       

 P.A.T. – LYNNAH, sinceramente, é possível romper com a barreira do silêncio, dar a volta por cima, sair desse ciclo de dependência e ter uma vida recuperada?

LYNNAH : – Sinceramente, totalmente possível. Não há tempo suficiente para explorarmos esse assunto nesta entrevista, mas, existem três perfis de agressor, onde, a partir do momento em que a mulher quebra o silêncio e busca ajuda, alguns desses perfis mudam. Em alguns casos, o agressor entende sua condição e busca ajuda psicológica. Vale sim, muito a pena romper o silêncio.

Já no caso do perfil mais agressivo, aquele que não se importa com lei, com medida protetiva, com nada, esse agressor precisa ser afastado o mais rapidamente da mulher. Nesses casos, além das medidas judiciais cabíveis, aciona-se uma rede de proteção em que essa mulher é mantida distante e sem possibilidade de contato algum com o agressor.

Seja qual for o seu caso, busque orientação. Tem dúvida, não sabe como proceder? O Projeto Acredita Empoderada está aqui para te ajudar, te orientar, esclarecer suas dúvidas. Atendemos toda a cidade de Mogi das Cruzes, e também, mulheres de outras cidades e regiões. Você pode nos encontrar pelo Instagram @acreditapoderosa ou pelo WhatsApp: 11.99651-6532.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *