Controle do tempo, qualidade de vida, maiores oportunidades de ganhos e de negócios prometem mexer com profissionais, dos novos aos experientes

Com o surgimento do Open Banking e de uma nova leva de empresas que usam o sistema para oferecer soluções, o bancário autônomo ganha um grande impulso de carreira. Fora o leque maior de operações disponíveis, as possibilidades de renda com maior qualidade de vida também aumentam. Neste cenário, a Teddy Open Banking destaca 3 pontos que mostram por que o novo sistema do Banco Central significa uma revolução de carreira para bancários autônomos.

1 – Tecnologia – a maior aliada

O setor financeiro é um dos grandes precursores de inovação, da biometria às transferências instantâneas. Isso implica, claro, em mudanças significativas na maneira de realizar as operações e também nas estruturas das instituições. Segundo levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o setor bancário dispensou, de 2017 a 2020, mais de 21 mil funcionários.

Mas a mesma tecnologia que leva a este movimento também traz uma série de oportunidades para os profissionais que decidem usá-la como aliada. Com o compartilhamento de dados e as novas fintechs focadas em open banking, agentes bancários experientes e que estavam fora do mercado, por exemplo, podem retomar as atividades em um modelo com maior liberdade.

2 – Mais produtos – oportunidades de negócios e maior renda

Enquanto está ligado a uma instituição financeira, o agente bancário pode ter uma excelente visão de mercado, mas nem sempre consegue atender o cliente na totalidade. Já como autônomo e com  a possibilidade de ofertar uma quantidade muito maior de produtos e operações, o profissional consegue indicar soluções mais adequadas e com melhores custos e benefícios. Outro atrativo é uma remuneração mais atraente. Somado a isso, a rápida adaptação dos clientes ao digital e universo de pessoas sub-bancarizadas no Brasil, formam um cenário bastante promissor para novos negócios.

3 – Controle – o grande diferencial

Aqui é possível separar em duas partes. Na primeira, a facilidade de atender o cliente de qualquer lugar, de acordo com a agenda mais conveniente, e a liberdade do estabelecimento das próprias metas. Já em relação ao emocional, o modelo traz maior qualidade de vida, pois um dos grandes problemas apontados por bancários no Brasil, são estresse, quadros de ansiedade, insônia e tristeza.

Sistemas inteligentes

A plataforma Teddy 360°, desenvolvida pela fintech Teddy Open Banking, surgiu dentro desse panorama de transformação do sistema bancário. Nela, o profissional encontra a oportunidade de poder trabalhar com liberdade e autonomia, obtendo rendimentos maiores que no sistema tradicional e, sobretudo, qualidade de vida. Afinal, ele que estabelecerá suas metas, horário de trabalho e prazos, de acordo com seu planejamento pessoal.

Ao ingressar na plataforma, o bancário autônomo passar a atuar como Business Banker, um profissional especialista no segmento empresas. Dentro da Teddy 360° ele pode indicar para sua rede de relacionamento mais de 60 produtos de serviços bancários, dos mais de 25 parceiros, como instituições financeiras e outras fintechs.

A Teddy também abrirá um leque para correspondentes bancários, que precisam ter o certificado da Ancord para venda de produtos de investimentos na plataforma.

“O lançamento da plataforma, foi um sucesso e superou o número de inscrições previstos inicialmente”, comemora Wagner Ferreira, CEO da Teddy Open Banking.

O executivo ressalta que além de seguir recebendo mais inscrições, a ideia é criar dois nichos diferentes para treinamento: um para bancário e outro para não bancário, mas que conhece o mercado financeiro.

“Nossa ideia é selecionar 100 bancários, até o fim deste ano, para seguirem trabalhando com a plataforma. Queremos os melhores trabalhando com a Teddy. Por isso, esses profissionais passarão por um processo de seleção bastante criterioso”, afirma.

Haverá também uma academia para difundir conhecimentos na área – incluindo compliance – e para atualização de produtos e serviços, tanto sobre parceiros como o mercado em geral. A Teddy também promoverá cursos para correspondentes bancários para venda de produtos na plataforma.

“Hoje, o agente autônomo nas grandes corretoras só vende produtos de investimentos. Com isso, perde a oportunidade de vender máquinas de cartão, seguro, gestão patrimonial e demais produtos de meios de pagamentos digitais e tecnológicos. A ideia é oferecer múltiplas soluções financeiras em um único lugar, tornando os AAIs e bancários em Business Bankers”, finaliza o executivo.

Para conhecer mais sobre a carreira de bancário autônomo, acesse: www.teddy360.com.br

Sobre a Teddy Open Banking

A Teddy Open Banking é uma fintech criada para intermediar o contato entre grandes instituições financeiras e clientes de Pequenas, Médias e Grandes Empresas, nos segmentos Corporate, Middle e Empresas, funcionando como um grande hub de soluções financeiras que amplia tanto a variedade de serviços, quanto as possibilidades de escolha de produtos com taxas mais competitivas. Em parceria com instituições como Banco BV, BTG Pactual e Banco Daycoval, a startup chega ao mercado com um portfólio robusto de soluções, de máquina de cartão à mesa de câmbio e home equity. Com um investimento inicial de R$ 2,5 milhões, a Teddy registrou no período de um ano, R$ 40 milhões de movimentação, entre operações de crédito e de câmbio pronto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *